segunda-feira, 17 de maio de 2010

a indiferença do movimento perante o que o repercute

Acontece na alma
a dor de cada um
e a cada um nos parece
que a nossa dor é universo perante migalha
edificio perante flor
trovão perante uma haste fina
que só o repercute

tudo
só porque nos dói
a nós
de dentro
tudo só
porque a dor dos outros
não a sentimos
apenas intuímos
e já assim é terrível
uma
dor de pesadelo
de lâmina sobre o olho que tudo vê
cego no sonho
aceso com a chama eterna
da angústia

é verdade,
a terra gira sempre
mas nem por isso sentimos menos
o seu tremor

onde estás amigo? anda para ao pé de nós.

23 comentários:

Aida disse...

Para além do Ronnie,pelo que percebemos alguém perto de ti partiu...

A morte é cruel e sofre quem cá fica.

Deixamos aqui os nossos sinceros pêsames. Força!

Beijo e abraço,

Aida e Gonçalo

Ruxu disse...

Tu e apenas tu, Fernando, para espores estas palavras cá fora.
Magistral...
Bem-haja caro Fernando

Adolf disse...

olá fernando, és verdadeiramente um poeta, é isto que faz falta muitas vezes nas letras do rock, já agora curti bue ver-te com a t-shirt dos motorhead nos globos de ouro, eu tambem tenho uma, encontrada por um amigo meu no optimus alive o ano passado ou à 2 anos :)
cumprimentos ;)

Anônimo disse...

e das coisas mais bonitas que eu ja li.

ou e por estar a passar por uma situaçao de magoa e dor por um amigo, ou este e o meu poema favorito de todos os que li teus.

parabens, continua a escrever como so tu sabes, mas principalmente continua a fazer musica como so tu sabes.

beijo

maria manuel disse...

sim, a dor é uma lâmina e sempre sentimos que a nossa sangra mais do que qualquer outra, no momento emque a vivemos. a dor pela perda de um amigo ou de alguém que nos era muito querido é profunda, o teu poema exprime isso.

abraço.

Rosa Branca disse...

«Who wants to live forever»

«There's no time for us
There's no place for us
What is this thing that builds our dreams
Yet slips away from us
Who wants to live forever?
Who wants to live forever.....?
There's no chance for us
It's all decided for us
This world has only one sweet moment
Set aside for us
Who wants to live forever?
Who wants to live forever.....?
Who dares to love forever
When love must die?
But touch my tears with your lips
Touch my world with your fingertips
And we can have forever
And we can love forever
Forever is our today
Who wants to live forever?
Who wants to live forever?
Forever is our today
Who waits forever anyway?»


Queen


http://www.youtube.com/watch?v=pC4ZOxpu2rs

Daniel Pestana disse...

Olá Fernando,

Aqui continuaremos à espera de mais livros da tua autoria. Os poemas continuam com uma qualidade brutal. Espero que um dia destes passes de novo aqui pelo Alentejo. Deixa-me também aconselhar-te, se me é permitido, para que peças a alguém para optimizar o teu blog, pois é mesmo muito difícil encontrá-lo nas pesquisas que efectuamos, o que é uma pena. Pede a alguém que crie umas META DATAS porreiras para que o teu blog chegue a um público mais vasto. Grande abraço. Keep... writing (and rockin' of course).

Christine disse...

... May his soul rest in peace... ***

SThanya disse...

Poderiamos criar um universo de dor se juntássemos a percentagem imaginária de dor de cada indivíduo existente, de momento, e no passado, na Terra?

Marco "Bonfire" Maia disse...

É com grande felicidade que vejo que continuas a escrever para bem de todos os teus fãs!

Deixo aqui para todos os fãs de Heavy Metal o alujamento do meu Blog:
http://www.psychomotel.blogspot.com/

Kimi of The Lamiae disse...

Belo muito belo, é verdade a dor que estamos sentindo sempre é pior que a dos outros... nunca olhamos para o outro sempre para nos mesmos... se todos no mundo conseguissem se colocar no lugar do outro, talvez esse mundo seria muito melhor!!!
Se puder da uma olhada no meu blog...
http://recantodasalmasferidas.blogspot.com
beijos..
Kimi of The Lamiae

Diogo Oliveira disse...

Fantástico. As tuas palavras são realmente algo extraordinário.

Não haveria melhor forma de abordar este tema, continua o excelente trabalho, que eu não me cansarei de ler.

Abraço!

Daisy Libório disse...

se dói algo em nós, algo dentro e intangível até o momento, é porque vibramos... vivemos... essa terra que gira e treme e jaz muitas vezes quem vibra conosco também, de uma forma estranha, nos compõem...
a dor é também bela, pois nos dá consciência de nós a cada punhalada...

(palavras doídas as suas)

thepoisonousi@thehospital.com disse...

Espero que te encontres bem, Fernando. Presumo que estejam a compor. Ou a gravar, não sei. Mas fico ansioso. First Light, cursed be! ;)

Abraço.

C disse...

The giant may attempt, but even the smallest particle knows he could never be indifferent to the reverberation echoed deep within his own soul.
Time is not linear, crucible.
That which is primordial and profound is patient, resilient, vigilant...
Believe.
Trust.

Anônimo disse...

Magnifico!

um estranho disse...

Cada vez mais te acho (espero poder tratar por tu) como um exemplo a seguir. A humanidade, a personalidade, o talento, a coragem de ir mais além. Arrepio-me quando te vejo no palco, quando te ouço no mp3 e (sobretudo) quando te leio.

Um grande abraço! (Honrava-me que passasse pelo meu blog: http://almaromundo.blogspot.com/)

Anônimo disse...

pensei que era impossivel gostar tanto das musicas dos moonspell como da tua poesia. mas afinal estava enganada.

no outro dia estava com amigos e eles estavam a tentar fazer a estimativa da tua idade e eu disse que tinha lido sobre ti e, portanto sabia a idade certa e disseram-me uii pareces as fas histericas dos tokio hotel... fiquei mesmo ofendida :D

bem, adiante, reparei que tens andado paradito, nao tem havido novos posts, espero que isso signifique que andas ocupado a trabalhar num album novo dos moonspell... estou um pulgas a espera de um album novo confesso :D

Pandora disse...

Não sei se este blog é do VERDADEIRO Fernando Ribeiro. Seja ou não, a poesia que aqui se escreve é fantástica!

(se for, tanto melhor. :) )

Sansell disse...

Lindo, extraordinário, tenho andado mal e este poema atacou-me em cheio nas entranhas. Tenho uma grande afeição com moonspell e adorei vê- -lo no projecto "Amália Hoje", vi apenas um concerto no Crato. Preciso da opinião de alguém mais experiente e mais velho, tenho três Blogs se tivesse tempo gostava que visse pelo menos um, deixo o link.

www.sanselleyesofgod.blogspot.com

Fico à espera.

Anônimo disse...

Para quando nos darás a oportunidade de ler um novo poema, anseio assim como os demais, que transcorras do teu sangue a essência que te vai na alma.

Pax.

skunk disse...

Olá...

Descobri o Eternal Spectator quando já estava silenciado. Mas li os ecos passados, e gostei da "América empreendedora", entre outros.

Escutei "Scorpion Flower" e depois "Night Eternal".

Procurei outros ecos, e eis-me num Cofre Aberto, desproporcionado, a saque de salteadores como eu.

O único tesouro que me chama a atenção é uma colher, com a qual poderia escavar um abismo. Mas ao fazê-lo, também criaria uma montanha, feita da mesma terra abissal.

Suponho então, que o abismo e a montanha, são filhos opostos do seu criador.

Manda a razão que só se suba o que se consegue descer, e que só se desça o que se consegue subir.

Montanhas e abismos, para descermos e subirmos..."é verdade, a terra gira sempre". E qual ponteiros de relógio, abismo e montanha, formariam uma planície.

MYOproductions disse...

Olá,

Antes de mais, parabéns pelo excelente trabalho postado neste blog.

Com a quantidade de informação que se econtra na Internet, ficam algumas duvidas se estarei realmente a comentar no blog do verdadeiro Fernando Ribeiro a quem tanto mérito reconheço.

Escrevo este comentário porque não encontro outra forma mais directa para o contactar.
Sou impulsionador de muitas bandas 'underground' no distrito de Aveiro e rejo-me pelo antigo conceito do "amor à camisola".
Pode conhecer o meu trabalho em www.myspace.com/myoproductions.

Neste momento estou a criar uma associação juvenil de âmbito cultural nos arredores de Aveiro e gostava de lhe poder adiantar mais pormenores. Se houver interesse da sua parte em contactar-me, não hesite em fazê-lo para myo.productions@gmail.com.

Por tudo aquilo que representa, o seu apoio sería fantástico!

Cumprimentos,
Bernardo Leite