segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Ninguem na terra - Quasi edições

Após rumores e incertezas e muitas dificuldades, recebi finalmente comunicação da insolvência da editora Quasi, responsável pela publicação e distribuição dos meus três livros de Poesia. Infelizmente e apesar das minhas solicitações, não fui notificado a tempo de reclamar o que me é devido, em especial o acesso ao stock dos meus livros que já há mais de um ano rareiam nas prateleiras das livrarias e das lojas, segundo o que me foram informando os meus leitores e muitos curiosos que não conseguem adquirir nenhum exemplar de qualquer livro em parte alguma.

Entrarei em contacto com a gestora judicial para tentar minimizar o prejuízo e tentar desbloquear os meus direitos, o stock dos meus livros e eventualmente procurar outra alternativa de edição. Apesar de lamentar toda esta situação, o que mais é de assinalar, pela negativa, é o facto de pessoas que querem comprar, ler ou possuir a minha pequena bibliografia não poderem exercer esse direito, pelo facto de os livros terem desaparecido das lojas e serem também parte do arresto judicial da insolvência.

Darei o meu melhor nesse sentido e aqui neste blog vos darei conta do resultado. Entretanto continuarei a publicar aqui alguns poemas originais ou retirados de outras edições, conforme ao espírito do dia da semana em que actualizo o cofre; ou poemas de outras pessoas que me pareçam interessantes para retirar do cofre alheio.

Bom 2010 a todos!



Terra de ninguém
Caminho para o qual
me empurrei
Encruzilhada para onde voltei
Por me faltar ar

e chão

Sem terra
Em terra de ninguém
Sem algo mais que um porém
Para te oferecer
Para te prestar culto
Para te explicar
Tudo o que fiz



Sem musa
ou terror
Na alma
Sem beleza

naufragada
Nem cidade para onde voltar
A vida

destroços apenas
Da arca que em boa hora
Teimámos não embarcar.

13 comentários:

Lycanthroat disse...

Boa tarde,

Eu á cerca de 3 meses tentei adquirir o teu livro, "Como escavar um abismo" por encomenda, através de uma livraria, após 1 mês foi-me informado que a editora Quasi tinha entrado em insolvência, razão pela qual seria impossível fazer a encomenda do mesmo. Fiz então o registo no site do Wook e após 3 semanas foi-me entregue o livro. No site do Wook, é apenas esse que não aparece como esgotado ou não disponível.

Karura disse...

que situação tão aborrecida! espero que tudo corra pelo melhor. eu ainda tive sorte que arranjar os teus livros todinhos. enfim, tudo se resolve, é o que eu digo sempre.

Luna disse...

Sim, realmente já tinha reparado que os teus livros escasseiam ou estão, simplesmente ausentes das prateleiras das lojas e livrarias. Depois de ter adquirido o "Como Escavar um Abismo" não consegui adquirir mais nenhum: "Estão esgotados." Resposta que nunca me pareceu a mais verdadeira. restava-me fazer "cara feia" e voltar as costas; procurar noutro sítio onde a resposta se repetia.
Espero que o problema se resolva. Estou farta de correr as prateleiras e encontrá-las vazias de ti.

maria manuel disse...

perdidos. fragmentados.
como se de nenhum lado
nem de nós mesmos.
apenas a encruzilhada.
sem direcções.

'brigada pelos esclarecimentos relativos à situação da editora. o teu último livro comprei-o atrvés dela, online, porque não o encontrava noutro sítio. deves estar a passar um mau bocado. ânimo e espero que as coisas acabem por correr bem contigo e com os outros escritores, que, no fim, não saia ninguém prejudicado. ainda será possível? espero muito que sim. beijos.

Andrea Lobinha disse...

Querido Fernando,

lamento muito o que aconteceu.
Ao mesmo tempo estou muito feliz que ainda consegui comprar os seus livros na QUASI pela internat faz alguns meses.

Muita boa sorte pela solucao desse problema. Nao esteja desanimado!

Continue com a sua música e suas poesias.

Greetings from Stuttgart,
Andrea

starfish disse...

Olá, Fernando.

Então era por isso que nunca encontrava nenhum dos teus livros...
Mas apesar disso, já os li todos. Gostei dos três, em especial, do Diálogo de Vultos. Adorei-o.

É bom saber que estás de volta com os teus poemas. Poesia essa que me inspira :)

P.S- "Acabariam os teus sonhos maus se eu os seguisse?" ;)

Beijinhos

Moonshadow disse...

De facto, foi quase impossível conseguir os três livros...tive a sorte de ainda ter conseguido o Diálogo de Vultos através do site da editora...mas é uma pena os outros leitores, fans e curiosos nao poderem ter acesso...

Resta-me desejar-te boa sorte =)

Beijinhos

Shadow disse...

Se chorais por não ter visto o sol, as lágrimas impedi-lo-ão de contemplar as estrelas...

THis Me ... disse...

o que distingue os passos, é a vontade de os dar e a persistência com que se olha para a frente, mesmo que, tudo e todos pareçam empurrar para trás! Ferdinando, esse caminho tem de ser continuado com a tua persistência de sempre. Os pensamentos encontram meios estranhos para se entoarem a si mesmos... proud to read ur words and poetry.

tudo de bom por ai.

Anônimo disse...

Entendo.. Lamento! Entendo o que aconteceu. Mas ainda há esperança.
When you choose a path away from your -so called- written destiny, when you lack of air, your own self tells you a situation is ended, you have to turn the page. You may take the wrong direction, you may end up in a dead end. never look back,though! There is nothing worse than compromising with your unhappiness, faltering the new beginnings,after an erroneous one. I have been in your shoes, I understand.
Stay with yourself for a little bit, try to love you, rest in the boat of Time and it shall lead you to new destinations, numa pátria nova.
Just sleep now, Poet, for you are tired.
"Não olharei para trás..", your own words..:)

sdarkm disse...

Boas, Fernando:
Há um mês atrás encomendei os três livros á Quasi. Felizmente consegui adquirir "As Feridas Essenciais" e "Como escavar um abismo". Para sorte minha trabalho numa livraria,o que me facilita o acesso ao mundo dos livros. Acho de facto estranho a Quasi ter esgotado o "Diálogo de Vultos" sendo este o teu último livro. Muita coisa se passa no mundo editorial e algumas boas editoras estão a passar uma fase menos boa...Ainda assim, a Relógio d´Água, Assirio e Alvim, Cavalo de Ferro como tantas outras continuam a sua caminhada, apesar do caminho tortuoso deste universo livresco. Espero em breve aquirir o teu último livro...tenho sede das tuas palavras...um beijo de uma livreira e dedicada leitora.

Ceci disse...

Eu ainda consegui adquirir exemplares do 'Como Escavar um Abismo' e de 'As Feridas Essenciais' no site da Cd Go (http://www.cdgo.com/artistaDetalhe.php?nomeArtista=RIBEIRO%2C+FERNANDO).
Espero sinceramente que este pequeno, grande percalço, seja resolvido pelo melhor :D

Eu sou uma daquelas pessoas que, ler poesia, só nas aulas de Português, e já lá vão uns aninhos...
Actualmente, e mesmo já tendo acabado o curso, continua a estimular mais as literaturas das químicas e das microbiologias ^ ^

É, por isso, um prazer enorme tentar reencontrar-me na tua poesia, primeiro através da música dos Moonspell e depois, através das páginas dos teus livros.

Anônimo disse...

reside in the giving out of all to espy this unrestricted [url=http://www.casinoapart.com]casino[/url] ancillary at the telling [url=http://www.casinoapart.com]online casino[/url] criterion with 10's of still wet behind the ears [url=http://www.casinoapart.com]online casinos[/url]. surrender comprise [url=http://www.casinoapart.com/articles/play-roulette.html]roulette[/url], [url=http://www.casinoapart.com/articles/play-slots.html]slots[/url] and [url=http://www.casinoapart.com/articles/play-baccarat.html]baccarat[/url] at this [url=http://www.casinoapart.com/articles/no-deposit-casinos.html]no compress casino[/url] , www.casinoapart.com
the finest [url=http://de.casinoapart.com]casino[/url] to UK, german and all vast the world. so in behalf of the cork [url=http://es.casinoapart.com]casino en linea[/url] corroborate us now.