quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Célula

Célula

Trilho veia afora
Arrastando pés e peso
Pelos troços abertos
Por quem de externo direito

Atravesso incontável
As águas que outros intoxicaram
Mapeando a devassa
Configurando a pele da mente

Respiro ainda
E com o hálito reclamo território
Como quem bebe com a sede
De seu próprio sangue

No fim do caminho
Iríamos devorar-nos
Assim ficamos ambos de pé
Salvos do naufrágio
Que a primeira manhã do ano anunciou

8 comentários:

Branca disse...

Excelente!
...

thepoisonousi@thehospital.com disse...

Viva Fernando!

Vim desejar-te umas boas festas, com muita música e boas leituras.

Aproveito para te deixar os meus votos de um magnífico 2010, cheio de saúde e criatividade, para ti e para a tribo lunar.

Um abraço amigo,
João Nery


P. S. Então e o novo álbum de Katatonia, hein? Simplesmente soberbo. Cá espero, para o ano, o vosso. Abraço.

maria manuel disse...

a respiração primeira, de cada manhã, caminho de sangue a uma tábua de salvação. o destino é nosso.

bom ano. abraços.

Lucie disse...

Beautiful, as always.
I'm not fluent in portuguese but even if I don't understand each word at the first reading I'm immediately charmed by their "sound"...

Anônimo disse...

Saudações ao novo ano. O momento agora debruça-se no eixo da charneira, isto faz-me pensar sobre o que ficou atrás e o que será daqui para frente.

Progresso, independente do modo que tenhamos escolhido para lapidar o diamante.

O Amor é a lei, como a electricidade que nos trespassa, num vórtice que anima e purifica os nossos corpos.

No novo ano brindo à vitória e à compaixão perante o vencido.

De hoje em diante sou em unidade a soma de todas as coisas. E brilho como um farol na mais obscura das noites.

Estendo esta irradiação para que tenhas igualmente um bom ano.


respira-me,
ar

starfish disse...

Olá, Fernando

É sempre um prazer ler os teus poemas.

"E com o hálito reclamo território
Como quem bebe com a sede
De seu próprio sangue"

Muito bom mesmo :)

Beijinhos

Sónia disse...

Longa foi a espera por mais algumas gotas de alvorada... Que este amanhecer te traga de volta o longo raio de luz que deixaste escapar quando a estrela da manhã cortou os pulsos para te iluminar.

Anônimo disse...

Uma vez, alguém escreveu num fórum que o maior medo dele era viver a vida apenas no estado da respiração, só para vê-la passar na frente dos seus olhos. Fuga, por favor...