sexta-feira, 19 de março de 2010

Bomba de pregos

Viver em fragmentação constante
Entrar nos poros como o chumbo doente
Da explosão da minha pele na tua.
Viver de rastos
Debaixo da barriga da cobra
Subsistir na sombra do charco do
seu veneno
Morder sem dentes
Arranhar sem unhas
Fazer da suavidade um legado
Do teu prazer
Fazer do desencontro a tua dor
Acalmar a Primavera que regenera
O réptil
Correr como ele
Em círculos de minas armadilhadas
Explodir contra ti
Abraçado ao teu peito
E ver o que sai de ti
Em direcção ao ar cinzento das paredes
Que nos encurralam como trincheiras
O teu olhar de lado
o teu sorriso
Os teus olhos dominados pelo ligeiro
Falecer das pálpebras
Recolher-te do chão,
Das árvores,
Das poças no chão
Da pele de quem passava
Distraído
Quando explodi em ti

9 comentários:

Daisy Libório disse...

transforma a suavidade em caos
com o peso do olhar vago
memória quase displicente
de quem explode junto a si...

mil fragmentos contrapostos
em nós mesmos
naquilo que vamos nos tornando
quando explodimos
neste momento que nos regenera
como uma porta aberta para o mundo...

*há muita profundidade entre o morder sem dentes e o arranhar sem unhas... um mundo a parte! Lindíssimo!

teresa disse...

muito bom

Patrícia disse...

eu. 26 de agosto de 1981. (o coração me arrancar...)

Carlos B. disse...

brilhante..somente!

Anônimo disse...

Lindo!

Maria disse...

Espírito

Vagueia na escuridão
Teu espírito
Errante
Encontrei a sua sombra
Tirei-a da solidão.
Vem cá
Quero ver-te
Sossega,
Ouve esta canção
Sou eu quem te procura.
Trago um veneno nas veias
Que pinga a cada estante
E em doce mel tu transformas.
Vem,
Vem cá espírito errante.

Christine disse...

Emoção insaciável, daquilo que foi e daquilo que poderia ter sido.
Enchanted dark sayings ***

Tiago "Von" Castro disse...

Não vou comentar o poemas, não sou digno de comentar tamanha grandiosidade. vou aproveitar apenas para te perguntar, para quando o romance? á talvez mais de um ano que se ouvem rumores...
até lá resta-nos esperar e desesperar na ansiedade de ver tal obra sair para o exterior.
continuação de um excelente trabalho trabalho

††♥Ŀucihell♥†† disse...

billante, chego me o coração