sexta-feira, 26 de março de 2010

Ferox

Voracidade
De ti
Do mundo
De tudo querer

Voracidade
Do nada
Do ficar quieto
E deixar as nuvens
Percorrerem a rota sonhada
Daqueles que as observam
Deitados nos campos

Voracidade
De ser
Voracidade das nuvens
De ser elas
No céu
E de ser eles
No chão

Voracidade
Da paz
Do parar
Não para respirar
Mas parar
Para ver se ainda
Respiro

Voracidade
De me deitar hoje a teu lado
E dormir encostado aos teus sonhos

9 comentários:

o lavagante disse...

muito bom!!!! :) Mais uma vez te digo não sou grande fã de Metal ( embora saiba o valor dos Moonspell) mas gosto muito da tua escrita.

Parabéns pelo talento, pela sinceridade das palavras :)

Daisy Libório disse...

o que é este peso da vontade voraz que nos faz segurar aos dentes os anseios de parar o mundo para nós mesmos?

as pontas contrapostas de um pêndulo - do caos mundano ao nosso próprio território passivo, cujas veredas conhecemos de olhos fechados... cartografia que somos e desejamos ainda um dia, mais uma vez, ser...

*seus versos me dizem isso: transpor a própria voracidade de tudo e alcançar a leveza insustentável das coisas simples... me falam sobre a vontade de mergulhar neste halo repleto das porções mais fugazes do que somos...

*sentido!

Caroline Sky disse...

Muito bom querido Fernando!!!
Gosto-me muito. :)

jonathan disse...

Verocidade
Não para ver à minha volta
Verocidade
Para ver se ainda vejo.



Amei a tua Verocidade, : )

Dianna Ribeiro disse...

Que lindooo *.*
Aliás , como todos os outros (;

Grande Fernando \m/

Anônimo disse...

...Por isso a vós, Poetas, eu levanto
A taça fraternal deste meu canto,
E bebo em vossa honra o doce vinho
Da amizade e da paz.
Vinho que não é meu,
Mas sim do mosto que a beleza traz.

Anônimo disse...

Vem e encontra-me distraída
puxa-me por um braço
vem e obriga-me a voltar.

Vem e desperta-me com um beijo violento
para que não perca-mos nenhum segundo longe dos nossos sonhos.

Christine disse...

Without this hunger we wouldn't go through life living each day as if it were our last - a needed drug, to let us feel the feel of each new path taken. ... "Um pau de dois bicos" as they may say ***

starxandra disse...

No fundo a revelação da ansiedade levada ao extremo pela vida, pela calma e pelo amor...
Bonito post.
Amei!
Cumprimentos.